Hoje foi... Hoje é um dia lindo! Acordei ausente, esquecido de você... Não fossem as lágrimas no rosto e o sol sumindo...

            - Este sol que por muitas vezes foram teus olhos a me iluminar os dias e as horas...

Mas de que adiantou a celestialidade, se me encontro na bestialidade?

            - E arranco de meu peito o amor, este veneno embriagador que não deixou sonhos, apenas a dor, a insensata dor de te perder.

E porque me perdes amor, se sou teu, insensato e embriagador...

            - Não te quero meu, posto que nossas almas se desejam na chama da eternidade, te quero teu, no âmago desta embriaguez que te faz inteiro, que te faz gladiador na terras de mim...

Egoísta! As terras que pisas, são também minhas, e teu coração, meu jardim...

            - Tomaste minha alma em goles secos, precisos, tomaste minha pele na fogueira acalentadora de teus braços, fui tua, teu jardim, tua morada, te recebi no meu corpo como rei de mim que sempre serás e queria abrir minhas asas e mergulhar no infinito, mas não largaste minha mão...

            - Queria bailar no céu da tua boca, na vastidão de teus olhos e pousar tal como uma borboleta, na certeza da tua espera...

Você é um licor dos Deuses, meu vicio... Tão difícil e tão fácil... Um ritmo que só tua boca fazia valer à pena...

            - Como a harpa e mão solene que a toca, assim nossos corpos se completavam... Minha boca, extensão de tua carne e meu ventre extensão de tua semente criadora.

De que serviram as finas cordas, se as mãos se afastavam de uma musica ensurdecedora...

            - As mãos se afastavam, mas a musica já estava no ar, as notas cítricas de nossos suores, os sustenidos agudos de nossos gemidos..Ouça-os, somos nós nas paredes do quarto, no chão da sala, somos nós nas notas vazadas pela saudade, ainda estamos ali, eternizados como a harpa e a mais pura e ensurdecedora canção...

Ah... O passado... Ainda te ouço, ainda sinto teu perfume e te canto poesias eternas... Mas aquele chão, aquele quarto e as notas apenas uma canção poderiam eternizar... Humilhado... Sem ação...

            - Levante, tens a minha mão te guiando, feche os olhos, sinta... Ainda te amo...

Entenda que as rosas ainda estão no jardim e os poemas, todos eles, em minha carne...

Por ti a vida, e se fecho meus olhos, quero mais, você me abraçando...

            - Nada será mais lindo, nenhuma obra de arte, nenhum cristal terá mais brilho que teus olhos, nada será mais conciso, nem a navalha mais cortante, nem a dor mais lancinante, nada será mais preciso e impreciso, que este nosso amor...

A noite está vindo... Meus olhos perdem o brilho até que assim seja... Com calor... Boa noite

            - Aonde vá estarei contigo, meus olhos serão a lua a velar por ti... Estrelas serão meus lábios a te ninar... Estarei sempre aqui, colo quente, ardente e você pra sempre em mim...

            - Um amor como esse não morre, sublima!

 

poison and Rosanegra in 12-03-2007    

Arquivo

Voltar